A+ A-

Notícias

sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Simpósio debate impactos das mudanças tecnológicas para a mobilidade

As tendências para a área de Mobilidade frente à transformação digital e as consequências para o setor produtivo foram debatidos durante o Simpósio SAE Brasil/SINDIPEÇAS 2019 - O Impacto da Sociedade 5.0 na Indústrias da Mobilidade, realizado nesta quinta-feira (21), no auditório da Escola SESI Djalma Pessoa, em Piatã.

SAE foto.jpg

Palestrantes convidados participaram de debate e responderam questões feitas pelo público. Foto divulgação. 

“A gente sabe que as mutações tecnológicas estão muito rápidas, e na mobilidade não é diferente. Vamos ter automóvel num futuro próximo, de que forma ele será guiado? Precisamos debater estes assuntos, obter informações, para podermos nos preparar”, afirmou presidente regional do Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores - Sindipeças, Marcelo Sena, ao explicar o objetivo do evento.

Para o diretor financeiro da SAE Brasil (regionais Bahia e São Paulo), Luiz Gustavo Zamorano, trazer especialistas para debater as mudanças impostas pela interação com as novas tecnologias é a contribuição que os organizadores do evento dão aos participantes da cadeia automotiva. “As pessoas ainda vão precisar se locomover do ponto A ao ponto B. Nós vamos precisar nos reinventar para participar deste processo, seja com novos produtos ou serviços”, explica.

Tendências – Eletrificação, conexão com celulares e compartilhamento de veículos são alguns dos caminhos já trilhados para a cadeia da mobilidade. De acordo com Sara Passos, CEO da CUBOS Tecnologia, 60% das viagens de até cinco milhas (pouco mais de 8 km) feitas nos EUA já são realizadas por meio de bicicleta e patinetes. Há também empresas, como a Tesla, pesquisando sobre transportes de massa mais rápidos que aeronaves, já uma outra linha de análise mostra que, também em função da tecnologia, haverá uma redução nos deslocamentos. As pessoas passarão a desempenhar diversas tarefas de forma remota. “As pessoas estão buscando melhoria na qualidade de vida por meio da tecnologia”, afirma.

Diante de um cenário disruptivo, as organizações precisam ampliar sua visão e mudar sua forma de atuar. Para a sócia-fundadora Talento RH, Agda Lima, muitos líderes de empresas querem contratar profissionais com este perfil, no entanto, eles mesmos ainda fazem exigências ultrapassadas. “É preciso abrir a cabeça para os conceitos da Sociedade 5.0, em que são fundamentais flexibilidade e criatividade para solucionar problemas complexos”, disse.

Durante o Simpósio, ainda foram debatidos o Conceito da Sociedade 5.0 e Impacto das novas tecnologias na Saúde, com Mauricio Muramoto, diretor de Inovação do Sindipeças; Formação do profissional 5.0, com Josemar Rodrigues de Souza, pós-doutorado em Robótica Autônoma, e; A Conexão de empresas e empreendedores ao futuro digital, com o gerente de Tecnologia e Inovação do SENAI Cimatec, Flávio Marinho.