A+ A-

Notícias

terça-feira, 12 de novembro de 2019

SENAI CIMATEC PARK: Único centro tecnológico do país com características industriais

O SENAI CIMATEC Park é um projeto desenvolvido para ampliar os limites da atual e já robusta infraestrutura do SENAI CIMATEC. Trata-se de um grande complexo tecnológico e industrial em uma área de 4 milhões de metros quadrados, localizado no centro industrial de Camaçari, com laboratórios avançados, fábricas piloto, áreas de segurança para testes e operações de risco e até uma pista de teste do setor automotivo.
 
O empreendimento vem preencher um gap existente no país, de centros tecnológicos com características industriais. De um lado, as universidades realizam pesquisas que vão até o nível de bancada, do outro, as empresas têm suas estruturas voltadas para a produção. No entanto, é, principalmente, nesses ambientes que acontece o processo de inovação.
 
O objetivo é que o SENAI CIMATEC PARK ocupe este espaço, com abrangência nacional e estrutura voltada para demandas industriais que requerem condições de controle e operação especiais, dando o suporte à inovação, principalmente na fase pré-competitiva dos desenvolvimentos de produtos e ou processos.
 
 O projeto consiste num grande centro de P&D&I, extensão do SENAI CIMATEC de Salvador, em ambiente industrial, com foco no escalonamento de produção (scale-up), testes de grande porte, plantas piloto e desenvolvimento de protótipos em escala real, apoiando todo o processo de desenvolvimento tecnológico e inovação industrial. Tais atividades, não são recomendáveis em ambientes urbanos, requerem uma localização compatível.
 
O SENAI CIMATEC já não tinha espaço para crescer e, por estar numa área mais urbana, havia dificuldade de implantar alguns projetos. O CIMATEC PARK terá, em próximas fases de implantação, infraestrutura capaz de suportar demandas como: energia eólica (testes e desenvolvimento de pás de aero geradores), conformação mecânica (validação de processos que demandam grandes equipamentos, p. ex.: prensas de 1.000 toneladas), naval e offshore (desenvolvimento, testes certificação de equipamentos), automotiva (crash test, estudos aerodinâmicos), elétrica (desenvolvimento, testes e certificação de componentes, máquinas, equipamentos de distribuição, proteção e controle), química, petroquímica, fármacos e biotecnologia (scale-up de plantas, desenvolvimento e validação de processos), papel e celulose, e petróleo e gás (projeto, prototipagem, teste e certificação de equipamentos).
 

SENAI CIMATEC: Modelo tripartite de atuação

Para entender este salto de projeto, é preciso entender tudo o que acontece no SENAI CIMATEC (Piatã, Salvador) na atualidade. A instituição integra um Centro Tecnológico, um Centro Universitário e uma Escola Técnica, que operam de forma sinérgica em um campus com 42 áreas de competência alinhadas às demandas da indústria. O campus também conta com uma incubadora e uma aceleradora de base tecnológica e já soma uma carteira com mais de 80 projetos de PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) com empresas nacionais e internacionais.

Para promover o desenvolvimento da indústria, o SENAI CIMATEC atua diretamente para integrar os processos de pesquisa e inovação do Centro Tecnológico às pesquisas científicas e acadêmicas do Centro Universitário e à formação profissional (Escola Técnica), além da formação avançada de pessoal, de maneira sempre conectada às necessidades da indústria. Além disso, a instituição conta com uma vasta experiência na execução de projetos de diversas grandezas e complexidades, se destacando na realização de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação (PD&I) em parcerias com empresas e instituições nacionais e internacionais, somando mais de R$ 300 milhões de recursos de projetos e elevados indicadores de propriedade intelectual, com mais de 170 ativos de propriedade intelectual, entre patentes, registros de software, desenho industrial e outros.

 

FONTES DE FINANCIAMENTO

O SENAI CIMATEC é também um dos principais desenvolvedores de projetos em cooperação com a EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) desde a operação piloto, em 2011. Além disso, outras fontes de financiamento para PD&I, como ANP, ANEEL, FAPESB, Lei de Informática, SEBRAEtec e o Edital SESI SENAI de Inovação, são prospectadas e identificadas, com a intermediação e assessoria da instituição.

A atuação do CIMATEC é orientada ao desenvolvimento industrial, estando envolvida desde processos de implantação de indústrias, com qualificação e formação específica de pessoal - como ocorreu na instalação de empresas como a Ford, Veracel e BASF na Bahia - até a implantação de empresas brasileiras no exterior, como a Braskem Idesa, no México, e a Petrobras, na Tanzânia.

Outra importante atuação tem tido foco no aumento da competitividade de indústrias baianas e de outros estados, por exemplo, com a primeira Fábrica Modelo 4.0 da América Latina, implantada no Campus, em parceria com a McKinsey & Company, que trabalha a metodologia Lean Manufacturing, e tem proporcionado ganhos de até 200% de produtividade em empresas de segmentos variados.

 

TECNOLOGIAS AVANÇADAS

 

O SENAI CIMATEC atende também às demandas mais complexas na resolução de reais problemas de empresas de todos os portes e segmentos, com desenvolvimento de tecnologias avançadas, como robótica autônoma e inteligência artificial, integradas a soluções de vanguarda, como o FlatFish, um veículo autônomo submarino desenvolvido em parceria com a Shell e o DFKI (Centro Alemão de Pesquisa em Inteligência Artificial), com objetivo de sofisticar e aprimorar a exploração de petróleo e gás em águas profundas. Este é só um exemplo de projeto na fronteira do conhecimento desenvolvido em parceria internacional.

O SENAI CIMATEC constrói, desde a sua inauguração em 2002, uma grande rede de parceiros, na perspectiva de cooperação acadêmica, como as parcerias para  intercâmbio acadêmico nas melhores universidades do mundo, como Universität Bremen e RWTH Aachen University, na Alemanha; University of Virginia, nos Estados Unidos; Université de Lyon, Université d’Orléans, Université de Montpellier e Polytech Annecy-Chambéry, na França e Delft University of Technology, na Holanda, University of Oslo, na Noruega; e na perspectiva da cooperação para desenvolvimento tecnológico, como as parcerias com MIT, University of California San Diego, IDRI (Instituto de Pesquisa em Doenças Infecciosas) e Elucida - Harvard Medical School, nos Estados Unidos, Institutos Fraunhofer e HZG, na Alemanha.

Diversas destas parcerias foram construídas, inclusive, de forma exógena, com a atração de empresas e instituições internacionais a partir da referência do SENAI CIMATEC enquanto instituto de desenvolvimento tecnológico. Uma delas é a Saipem, empresa italiana da área de robótica, que buscou a exploração comercial do FlatFish, participando e estruturando, de maneira colaborativa, do desenvolvimento do veículo autônomo submarino.

 

SUPERCOMPUTAÇÃO

O SENAI CIMATEC incorpora à sua estrutura o Centro de Supercomputação para Inovação Industrial, onde operam os supercomputadores AIRIS (Artificial Intelligence RSB Integrated System), fruto de parceria com a Repsol Sinopec Brasil; Omolu, montado em parceria com a Fiocruz para processamento de dados de pesquisas na saúde pública; Yemoja e Ògún, que realiza simulações e modelagens computacionais essenciais para garantir processos de inovação na indústria.

 

Nesta segunda-feira, 11.11, foi inaugurado o supercomputador Ogbon, resultado de uma parceria entre a Petrobras, através do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), e o CIMATEC.

 

Na estrutura do Campus, também está instalado o Instituto Brasileiro de Robótica – Brazilian Institute of Robotics, com projetos de ponta em parcerias com institutos internacionais, como o DFKI (Centro Alemão de Pesquisa em Inteligência Artificial).O Centro de Supercomputação do SENAI CIMATEC é o segundo maior da América Latina, tendo foco em desenvolvimento de soluções complexas para a indústria.

 

PRTOJETOS

Planta Piloto de Extração de Metais

 

miner640.JPG

Desenvolvida no âmbito da EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), através de parceria entre o SENAI CIMATEC e a NEXA Resources (antiga Votorantim Metais), desde 2014, o projeto tem como missão recuperar metais valiosos contidos em resíduos industriais (de mineradoras, barragens, metalúrgicas e siderúrgicas) e ou urbanos. A planta utiliza tecnologia piro metalúrgica, que permite extrair os metais dos resíduos através de sua volatilização. A técnica é inovadora, no sentido de aumentar rendimento das produtoras de metais, além de agregar valor aos minérios de baixa concentração, geralmente destinado às barragens.

 

Até o momento, a planta já executou, com excelente performance nos resultados, projetos de recuperação de metais em resíduos de barragens, siderúrgicos e urbanos, como sucatas eletrônicas provenientes de TV’s, computadores e outros eletroeletrônicos de uso comum. A Planta piloto conta com equipe fixa, composta por operadores, profissionais de manutenção elétrica e mecânica e pesquisadores, integrando diversas competências técnicas existentes no CIMATEC PARK.

 

 Planta Piloto de Biotecnologia

 

biotecn.JPG

O projeto foi desenvolvido para dar suporte e atender diferentes demandas biotecnológicas em áreas estratégicas das indústrias química, farmacêutica, cosmética, de alimentos e afins.  A planta conta com uma infraestrutura adequada e moderna para realizar o desenvolvimento e otimização de processos biotecnológicos relacionados a propagação de microrganismos, preparo das matérias-primas

(upstream process), purificação e caracterização do produto final (downstream process). Nesse contexto, é possível produzir proteínas recombinantes, ácidos nucléicos, enzimas, microrganismos (vírus ou bactérias atenuadas), biomoléculas e bio materiais de interesse industrial.

 

Outra linha de atuação da planta piloto está relacionada ao dimensionamento de projetos e fabricação de biorreatores para demandas específicas, atendendo a produção de diferentes produtos biotecnológicos em ambiente relevante e industrial. A planta piloto conta com uma equipe de pesquisadores e técnicos da área de biotecnologia, integrando diferentes competências técnicas existentes no CIMATEC Park.

 

Planta Piloto de Fármacos

farmacos.jpg

A Planta tem como missão oferecer diferentes alternativas tecnológicas para a síntese de novas moléculas ou princípios ativos que apresentem potencial de aplicação para o desenvolvimento de novas medicamentos. A infraestrutura é composta por uma linha de produção moderna e ambiente operacional multi propósito que permite planejar o desenho racional de drogas e, com isso, fomentar a produção industrial de novos medicamentos, seguindo as diretrizes da legislação nacional, requisitos técnicos e necessidades das indústrias do setor público ou privado.

 

Nesse ambiente, é possível realizar a otimização operacional para os equipamentos da indústria de fármacos, além de realizar planejamento, desenvolvimento de rotas alternativas para síntese, investigação do transporte (biodisponibilidade) e desenvolvimento de processos relacionados a síntese de bancada e purificação de fármacos. A planta piloto conta com uma equipe de pesquisadores e técnicos da área de farmácia e química industrial, integrando diferentes competências técnicas existentes no CIMATEC Park para suprir os gaps de competências tecnológicas da indústria nacional e suporte necessário para a formação de novas indústrias.

 

Fábrica de Plantas Piloto

 

plpilot.JPG

Para o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias é primordial a fabricação de protótipos e sistemas em escala reduzida, com o objetivo de testar e validar um conceito que trará valor e inovação para indústria. Em contrapartida, cada vez mais os projetos vêm demandando equipamentos e estruturas que podem chegar a escala produtiva. Dada à dinâmica do processo de desenvolvimento de produtos e processos, o SENAI CIMATEC identificou a necessidade de estruturar uma Fábrica de Plantas Piloto.

A Fábrica de Plantas Piloto é a primeira do Brasil que integra todas as competências necessárias para o desenvolvimento de uma planta piloto industrial com a aplicação dos conceitos de Indústria 4.0, desde a concepção do projeto até a entrega do relatório com a validação do resultado dos testes realizados. Os serviços prestados pela Fábrica de Plantas Piloto são: concepção, manufatura e integração de plantas piloto em diversas escalas (até semi-industrial), operação, manutenção e inspeção especializada.  Está apta a atender a maioria dos segmentos de mercado, tais como petróleo e gás, mineração, siderurgia, metalurgia, químico e petroquímico, automobilístico, alimentício, cervejaria, dentre outros.

 

Conformação e União de Materiais

 

funducao.JPG

Com o intuito de desenvolver novos produtos e processos através de soluções inovadoras para as cadeias de processos de fabricação e manufatura aditiva, o SENAI CIMATEC identificou a necessidade de estruturar as competências de Conformação e União de Materiais. Tais competências, unidas a uma infraestrutura

CIMATEC Park, visam tornar mais dinâmico o desenvolvimento e a inovação dentro de setores como o Metal Mecânico, Siderúrgico, Óleo e Gás, Mobilidade, dentre outros, através de projetos que atuam desde o desenvolvimento de conceitos até o nível de escala produtiva.

A área de Conformação e União de Materiais integra as competências para o desenvolvimento de processos desde a produção de materiais (Fundição), o trabalho mecânico destes (Conformação Mecânica), até a união dos mais diversos produtos

(Soldagem) e a manufatura aditiva. Estas competências, aliadas a aplicação dos conceitos da Indústria 4.0, possibilitam o aprimoramento da escala produtiva, permitindo a união do mundo físico e digital com a aplicação da Inteligência Artificial, Sistemas Ciber físicos, gêmeos digitais (Digital Twin) e a Manufatura Aditiva, tendo como objetivo o aumento da produtividade nacional.

 

 

E2I: Engenharia para Inovação Industrial

 

e2.JPG

Inspirado no modelo de sucesso do Instituto AME – Advanced Manufacturing and Engineering, a primeira faculdade ‘chão de fábrica’ do Reino Unido, fruto da parceria entre a Universidade de Coventry com o Unipart Manufacturing Group, consistirá na implantação da primeira iniciativa semelhante no Brasil, localizada no CIMATEC Park, em Camaçari. O E2I possui uma proposta de valor única para desenvolvimento de competências em engenharia pelo trabalho efetivamente conjunto de universidade e indústria na formação do engenheiro e envolve a implantação e operação de um ambiente industrial, dedicado a educação e pesquisa aplicada.  Neste ambiente, os alunos dos cursos de engenharia do SENAI CIMATEC aprenderão através do desenvolvimento de projetos focados em solucionar problemas reais do parceiro industrial, o que garante ao graduando uma formação completa e versátil, com experiência prática e habilidades interpessoais necessárias para que este possa causar impacto na indústria desde o seu ingresso na empresa, reduzindo o gap existente entre academia e indústria.

 

Galpão de Automação

funducao.JPG

O SENAI CIMATEC possui forte atuação no desenvolvimento de projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação focados na automação de processos industriais, abrigando em seu campus o Instituto Senai de Inovação (ISI) em Automação, parte da rede ISI do SENAI Nacional. O Galpão de Automação, localizado no CIMATEC Park, será uma extensão do ISI de Automação e funcionará como um laboratório industrial para Prototipação Avançada em Automação e Robótica. Isso permitirá ao CIMATEC apoiar, de forma mais profunda, a indústria no amadurecimento de tecnologias e processos de automação e manufatura avançada / indústria 4.0 em um ambiente relevante, antes da solução ser levada para o ambiente de produção, minimizando o risco e antecipando possíveis problemas de integração. O galpão contará com uma infraestrutura robusta, equipada com robôs industriais, área para montagens elétricas e mecânicas e realização de integração e testes.

 

Laboratório de desempenho das construções

 

construcao.JPG

O SENAI CIMATEC Park tem em estruturação o laboratório de avaliação de desempenho das construções, para atendimento às empresas do setor. O desempenho das construções é um dos temas mais discutidos para a melhoria da qualidade das obras civis e envolve toda a cadeia produtiva, desde os fornecedores e projetistas até o usuário final da edificação. A equipe técnica do SENAI CIMATEC já possui a competência de desempenho consolidada, se destacando no atendimento nacional com consultorias específicas, atendendo a NBR 15575.  No SENAI CIMATEC Park, o laboratório terá uma equipe especializada e infraestrutura específica para realizar os ensaios técnicos de componentes, elementos e sistemas construtivos, para comprovar o atendimento ao estabelecido pela Norma de Desempenho. Serão realizados ensaios de resistência mecânica, estanqueidade e de envelhecimento acelerado.