A+ A-

Notícias

sábado, 31 de agosto de 2019

"Acordo foi o possível", diz FIEB

O presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Ricardo Alban, avalia como “adequado” o acordo anunciado entre o Governo Federal e as entidades do Sistema S nesta sexta-feira, 30.08. “Diante das incertezas geradas com as especulações sucessivas sobre o corte na contribuição das empresas às entidades representativas do setor privado, este é um acordo possível e necessário”, afirma Alban.

Pelo acordo, o corte será gradual na contribuição que as empresas pagam sobre a folha de pagamento dos trabalhadores em até 20% do que é repassado ao Sistema S, em um período de dois a quatro anos. Também está previsto que uma parte dos recursos será destinada à capacitação dos trabalhadores e requalificação.

O presidente da FIEB, que participou, nesta sexta-feira, da reunião em São Paulo, como representante da Confederação Nacional da Indústria (CNI), ressaltou que o acordo deverá passar ainda pela aprovação dos Conselhos das entidades que representam o setor privado, a exemplo da CNI, SESI e SENAI. 

Segundo Alban, na entidade que representa a indústria, a CNI, a desoneração será direcionada à alíquota de contribuição do SESI, que terá redução de 1,5% para 1% sobre a folha de pagamento salarial, ao longo de três anos. Além disso, estão previstos compromissos de acordos de cooperação com os Ministérios da Cidadania e da Economia.

Outro ponto destacado por Alban é que o acordo inclui um compromisso público de gestão, que será balizado por indicadores de eficiência, efetividade e eficácia, ampliando a transparência dos serviços prestado pelo Sistema S.